ÉTICA NOS NEGÓCIOS.

ÉTICA NOS NEGÓCIOS.

Em outros tempos poderia parecer estranho falar de ética nos negócios. Os negócios ficavam restritos às comunidades ou às cidades e quanto muito aos países, com suas regras e conceitos morais (no sentido de que diferentes civilizações aplicam diferentes critérios morais, tais como religião, casamento, alimentação, etc.). Os negócios praticados não se preocupavam com o lucro exagerado ou até mesmo na exploração da mão de obra ou dos meios de produção num contexto mais amplo. A evolução da humanidade obriga que a ética seja considerada como um dos principais reguladores do desenvolvimento histórico e cultural da humanidade e com impacto direto .na forma de produzir e comercializar bens e serviços.


GLOBALIZAÇÃO

Com a globalização[1] as empresas e organizações estão se tornando mais vulneráveis, já que o mercado dispõe de variáveis que tornam cada vez mais visível a competitividade. Para enfrentar todas as ameaças que a liberalização do mercado pode proporcionar, as organizações deverão adotar um novo perfil, ou seja, procurar estabelecer e desenvolver uma conduta ética, que já tem sido praticada por algumas empresas, que acabam, dentro das sociedades mais preocupadas com a ética, possuindo um referencial de mercado, navegando por um “Oceano Azul”[2]. Deste modo, a ética nas organizações, já é considerado um fator de sobrevivência das mesmas e, uma empresa ética beneficia a sociedade pois, além da prática interna impacta diretamente na atitude e no relacionamento com os clientes, os fornecedores, os sócios, e o governo.


A TEORIA

A gestão de uma empresa requer consideração adequada de uma série de questões fora do âmbito da obtenção de lucro, sendo que a ética é certamente uma das mais importantes.


Conforme um negócio vai crescendo e tornando-se cada vez mais importante, o impacto que irá ter na vida de outras pessoas também aumenta, quer seja na oferta de postos de trabalho, criação de riqueza ou até como forma de inspiração para outros que pretendam iniciar a sua própria empresa.


Muitos empresários ainda se questionam “se eu for ético no meu negócio, o que vai acontecer? Será que o meu concorrente vai parar de ser aético? Será que vai impactar nos meus ganhos?”.


A questão não é essa. Sempre que você fizer o que é correto, você e a sociedade estarão ganhando. Por quanto tempo a empresa que não cumprir a ética da sua associação ou a exigida na sua cadeia de suprimentos[3] ou por seus clientes continuará a operar? Basta se questionar. Você como consumidor (pessoa física ou jurídica), ao escolher um parceiro de negócios, prefere negociar com quem tem princípios éticos (e os pratica) ou não.


A ética empresarial aqui no Brasil e em todos os países do mundo é, felizmente, um caminho sem volta. Estamos cansados de jeitinhos, de acordos espúrios, de negociatas, de vantagens indevidas, de suborno, de fraude nos negócios, de desvios e de tantos outros nomes para um fato que impacta a nossa vida como cidadão. A CORRUPÇÃO. Sempre que alguém leva uma vantagem, um outro alguém perdeu. Seja em bens, seja em recolhimento de impostos que deveriam se transformar em melhoria da vida da sociedade.


Maximização do lucro. Empresas que seguem princípios de ética empresarial conseguem atingir maiores lucros que outras que não os aplicam. Isso acontece porque os clientes destas empresas acabam por ser mais leais e mostram maior satisfação em relação aos produtos e serviços produzidos pela empresa. Quando os clientes estão satisfeitos, tornam-se facilmente fiéis à empresa. Isto vai certamente aumentar os lucros da organização, que vê a ética nos negócios como estratégia para a fidelização de clientes e maximização dos seus lucros.


MAS, E NA PRÁTICA?

Na prática ainda não vemos as micro, pequenas e médias empresas preocupadas em ter um código de ética e conduta ou até mesmo, um programa de COMPLIANCE. As razões são muitas, e vou colocar algumas que ouço e as razões para que as empresas comecem a considerar como fundamental a ética nos negócios.

Minha empresa é muito pequena. Ética nos negócios está sempre ligada à ética do empresário. A decisão por ser ético ou não nos negócios não está ligado ao tamanho da empresa;

Meus concorrentes não são éticos. Veja a resposta acima. Concorrer num mercado não ético ou se manter nele sem mudar é uma decisão. Denunciar práticas ilegais é sempre uma possibilidade. Os fornecedores desses seus concorrentes com toda certeza não querem ser associados a condutas ilegais ou imorais. Seja você diferente;

Isso custa caro. Se sua empresa estiver envolvida num escândalo ligado à corrupção quanto custa a recuperação da imagem e o impacto nos negócios? Veja o que aconteceu nas empresas envolvidas na operação lava jato e o impacto social e financeiro que pagamos até hoje, algumas fecharam e outras reduziram seu tamanho e valor de mercado.

A minha empresa é pequena. É questão de tempo. As grandes empresas não querem ser associadas a escândalos de corrupção e estão exigindo de seus fornecedores de primeiro nível, a utilização do próprio código de ética e conduta ou, opcionalmente, validar o apresentado pelo fornecedor. Este fornecedor passa agora e ser exigente com seus próprios fornecedores. Logo, esta cadeia em breve chegará, de forma obrigatória até a sua empresa.

Não tenho riscos com a reputação da minha empresa. O risco efetivo é perder a reputação. Quem foi envolvido em um escândalo de corrupção vai ter que investir muito para se recuperar e em alguns casos, não vai conseguir. Uma empresa, que é reconhecida pela sua ética nos negócios, acaba por criar uma boa reputação no mercado empresarial, Esta reputação vai tornar-se vantagem em relação a possíveis investidores, que se mostram mais disponíveis e confiantes para investir nas empresas.;

Minha empresa é organizada. Será? Aqui vale alguns questionamentos, ou seja, leve estas perguntas e responda você mesmo. Mas, onde a ética entra aqui? O que acontece quando você não está por lá? As regras funcionam? Seus riscos estão cobertos? Entenda que a sua empresa precisa ser ética sempre. Isso vai diferencia-la das demais. Se seus funcionários não sabem o que é certo e o que é errado, como garantir?

COMPLIANCE é só custo. Não vou rever este conceito aqui. Veja no meu post específico sobre este assunto aqui.



Para saber mais sobre COMPLIANCE, ética empresarial e código de ética e conduta consulte meu site em www.victormachadoadv.com ou www.compliance.sorocaba.br

[1] Globalização é um termo elaborado na década de 1980 para descrever o processo de intensificação da integração econômica e política internacional, marcado pelo avanço nos sistemas de transporte e de comunicação. Por se caracterizar um fenômeno de caráter mundial, muitos autores preferem utilizar o termo mundialização. Disponível em < https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/geografia/o-que-e-globalizacao.htm>, acessado em 08/08/2018


[2] KIM, Chan & MAUBORGNE, Renée: A Estratégia do Oceano Azul – como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante; Rio de Janeiro: Campus, 2005.


[3] Cadeia de suprimentos (Supply Chain, em inglês), é uma rede interligada de negócios, que abrange desde o armazenamento da matéria-prima até o produto final no ponto de consumo.

Uma boa gestão da cadeia de suprimentos resulta no aumento da satisfação dos seus clientes. Isso porque o produto chega até o consumidor dentro do prazo, na quantidade certa e da maneira como ele espera, sem frustrar suas expectativas. Disponível em < https://www.erpflex.com.br/blog/o-que-e-cadeia-de-suprimentos >, acessado em 08/08/2018

BEFORCE

BESPECIALIST

BECLIENT

BECONTACTED

Desenvolvido por BEFORCE - inteligência, treinamentos e estratégias digitais | Todos os direitos reservados 

  • WhatsApp Vermelho
  • Email
  • Chat Vermelho
  • facebook vermelho_edited